O que é RFC e para que serve?

Por Capa, Dicas, Email Marketing, Ferramentas, Tecnologia

O que é RFC

O que é RFCNão é surpresa pra ninguém que, com a chegada da Internet e da transformação digital, foi preciso desenvolver regras e padrões para garantir segurança. Apesar do mundo online parecer uma “terra de ninguém”, onde se pode fazer tudo, não é tão simples assim. Na verdade, existe todo um trabalho por trás disso para estabelecer conceitos básicos com os quais já estamos acostumados. Os Request for Comments (RFC) são documentos usados pela comunidade online há mais de 40 anos para definir os padrões da web e compartilhar informações técnicas. Atualmente, os RFCs são gerenciados pela IETF (Internet Engineering Task Force).

Parece complexo? Bem, só um pouco! No post de hoje, vamos explicar o significado desses conceitos técnicos para que você entenda qual é o objetivo deles. Você vai saber:

  • O que é RFC;
  • A história do RFC;
  • O que é IETF;

Acompanhe para entender!


O que é RFCO que é RFC?

O RFC é uma série de publicações que documenta padrões, serviços e protocolos oficiais da Internet que são mantidos pelo IETF (Internet Engineering Task Force). Alguns desses documentos existem com a única finalidade informativa. Eles podem conter desde uma página até centenas delas, dependendo de sua especificação.

Os RFCs geralmente são identificados por números, como por exemplo, o RFC 3286, documento que possui todas as informações necessárias para a implementação do controle de fluxo de dados e que permite que serviços de streaming como o Youtube e Vimeo existam.

Esse número é atribuído sequencialmente e nunca é modificado. Se um padrão necessita de atualização, então um novo RFC deve ser gerado com todas as revisões fundamentais.

Todo RFC possui um status que diz respeito ao estado da padronização do protocolo. São eles:

  • Informacional (Informational);
  • Experimental;
  • Melhor Prática Atual (Best Current Practice);
  • Trilha dos Padrões (Standards Track);
  • Proposto (Proposed Standard);
  • Rascunho (Draft Standard);
  • Padrão da Internet (Internet Standard);
  • Histórico (Historic).

O que é RFCA história do RFC

Os primeiros RFCs, incluindo o RFC1, foram publicados em 1969. A tecnologia de software da época já se tornou obsoleta há muito tempo, mas esses documentos antigos podem ser estudados para que tenhamos um vislumbre do início da Internet.

Até hoje, no entanto, o formato padrão de texto dos RFCs segue o mesmo. Diversas tecnologias de rede de computadores foram publicadas ao longo dos anos, como por exemplo conceitos de domínio de Internet e alocação de endereços para intranets privadas. Veja então alguns exemplos na tabela abaixo:

ProtocoloRFC
ARP826
DHCP2131
DNS1034 e 1035
FTP959
HTTP1945
ICMP792
IP791
IPv62460
MD51321
NAT3022
POP31939
SMTP5321
SSH4251
TCP793
UDP768

O processo de rascunho e de revisão do Request for Comments passa por diversas etapas antes da ratificação final. Os temas e materiais inseridos nessas documentações foram feitos para serem lidos por profissionais acadêmicos altamente especializados. Você pode consultá-los gratuitamente através do RFC Editor. É possível buscar um documento por status, palavra-chave, nome, autor ou número.


O que é RFCO que é IETF?

A Internet Engineering Task Force (IETF) é um grupo internacional aberto composto de técnicos, fabricantes, agências, fornecedores e pesquisadores que desenvolvem os padrões da Internet. Isso é feito em parceria com a World Wide Web Consortium e ISO/ IEC.

A principal missão do IETF é identificar e propor soluções para o uso da Internet e padronizações das redes baseadas em IP. Seu processo é baseado em “consenso bruto e código em execução”. Essa comunidade é diferente de outros grupos por ser totalmente aberta, sem requisitos de associação. Como um fórum aberto, qualquer pessoa pode participar das atividades da IETF.

As decisões da Internet Engineering Task Force não são tomadas em votação normal, mas consenso aproximado. Muitos de seus processos e decisões são gerenciados através de listas de discussões que são abertas à ampla participação das pessoas em qualquer lugar.

Os grupos envolvidos nos processos de padronização incluem os departamentos de IETF, ISOC, IAB, IESG, IANA, IRTF e RFC. Vamos entender alguns deles abaixo.

IESG

O IESG (Internet Engineering Steering Group) é um corpo composto por membros do comitê e diretores do IETF. Esse departamento administra os processos de padronização de acordo com as regras da comunidade e é responsável pelas ações associadas à progressão das especificações técnicas ao longo do caminho dos padrões, incluindo a aprovação inicial de novos grupos de trabalho e a aprovação final das especificações como padrões da Internet.

IAB

O IAB (Internet Architecture Board) se responsabiliza pela supervisão arquitetônica das atividades da IETF. Seu regulamento completo está documentado no RFC 2850.

IANA

A IANA (Internet Assigned Numbers Authority) é a organização mundial que supervisiona a atribuição global dos números na Internet, como endereços IP, sistemas autônomos, números de domínios DNS e outros recursos relacionados aos protocolos de Internet.

IRTF

Já o IRTF (Internet Research Task Force) é composto de vários grupos de pesquisa que trabalham em tópicos relacionados a aplicativos, arquitetura, tecnologias e protocolos da Internet. O IRTF gerencia os grupos de pesquisa e pode desenvolver workshops temáticos com foco em áreas de pesquisa da Internet.

Um exemplo é o Grupo de Pesquisa Anti-Spam, que aborda ferramentas e técnicas antispam novas e melhoradas.

ISOC

O ISOC é a Internet Society, uma organização sem fins lucrativos com o objetivo de promover liderança em assuntos relacionados com o online. Sua missão é, de acordo com a organização: “promover o desenvolvimento aberto, a evolução e o uso da Internet para o benefício de todas as pessoas ao redor do mundo”.

Além desses grupos, como já falamos antes, a especificação dos documentos definidos pelo IETF e IESG são publicados como RFCs. O RFC Editor é o órgão responsável pelas revisões e edições finais das padronizações da Internet.

Mas e aí, gostou deste conteúdo? Então, leia também:

Conheça as bases legais da LGPD e entenda como elas se aplicam no marketing


Referências:

An introduction to the IETF