O que é Sitemap XML e como criar um para impulsionar seu site?

Por Capa, Dicas, Marketing Digital, SEO, Tecnologia

sitemap

Para que seu site e sua loja virtual estejam bem posicionados nos resultados de busca do Google, existem uma série de práticas de SEO que devem ser adotadas. Dentre otimização de conteúdo, de imagens, carregamento da página, responsividade e outras medidas importantes, se encontra também o sitemap.Enviando um arquivo sitemap XML ao Google, você facilita o trabalho dos robôs (os responsáveis pelo rastreamento dos sites), impedindo que as páginas do seu site ou blog sejam esquecidas nas varreduras.

Ficou confuso? Não se preocupe, vamos explicar direitinho o que é um sitemap e como você pode criar um.

Neste artigo, você vai saber:

  • O que é sitemap?
  • Quais sites mais se beneficiam de um sitemap?
  • Como criar um sitemap?
  • Enviando seu mapa ao Google;
  • Como otimizar ainda mais seus resultados com o sitemap?

Vamos lá?


o que é sitemapO que é sitemap?

Um sitemap XML é um arquivo ou documento de texto feito para facilitar a indexação de páginas em um motor de busca, como o Google, Bing e Yahoo. Toda a estrutura de um site está listada e descrita nesse documento, então é como se ele fosse um mapa do seu site.

Basicamente, o sitemap funciona assim: ele lista todas as URLs do seu site e informa quando ela foi criada ou modificada, com que frequência é atualizada, qual o seu idioma e sua relevância. Em termos mais simples, ele “traduz” os dados do seu site para a linguagem dos bots, reunindo tudo em um só documento.


sitemapQuais sites se beneficiam mais de um sitemap?

Com a enchente de informações que varrem a internet todos os dias, não é de se admirar que o Google possa encontrar alguma dificuldade em rastrear todas as páginas online. Portanto, qualquer site ou blog pode se beneficiar de um sitemap.

Contudo, esse tipo de arquivo acaba sendo mais benéfico para sites que trabalham com uma grande quantidade de dados diária ou que tenham arquivos incomuns. Esses dois fatores são os que mais podem atrapalhar o Googlebot na hora da indexação.

Veja alguns critérios que indicam uma maior necessidade desse tipo de arquivo:

  • Site grande demais: quando um site é atualizado diariamente com muitas informações, como alguns blogs e portais de notícias, certas páginas podem se perder na varredura dos robôs;
  • Site com conteúdo rich media: aqui, entram os sites que querem ser rankeados em categorias específicas do ranking de pesquisas, como o Google Shopping e Google Notícias;
  • O site recente: aqueles que foram recentemente criados e possuem poucos links externos podem demorar um tempo até que sejam descobertos pelos rastreadores;
  • Páginas isoladas: quando o link building de um site é ineficiente, algumas páginas também podem ficar de fora dos resultados de pesquisas.

E é claro, um dos grandes benefícios do sitemap é o impulsionamento do SEO de um site. Se você costuma atualizar conteúdos já postados com frequência, usar esse documento pode gerar mais resultado. Afinal, o sitemap facilita o trabalho de indexação do Google, permitindo que esses conteúdos sejam relidos e rankeados para novas posições.


como criar um xml do seu siteComo criar um sitemap?

Existem duas maneiras de criar um arquivo sitemap: uma manualmente e outra a partir de ferramentas online. Citaremos aqui algumas opções de ferramentas que você pode usar para gerar seu mapa, já que esse é o método mais fácil e prático. Basta colocar a URL do seu site que o processo é feito automaticamente.

Veja abaixo como criar um sitemap com ferramentas gratuitas:

  1. Ferramentas independentes: o XML Sitemap Generator é uma alternativa que simula os bots dos buscadores e cria um mapa de site com páginas ilimitadas. Outra opção é o XML-Sitemaps, que cria mapas para sites tanto em formato XML quanto em formato HTML.
  2. Ferramentas do WordPress: se o seu site roda a partir do CMS mais usado no mundo, o WordPress, é muito fácil gerar um mapa de site. Basta usar plugins como o Yoast SEO ou o Better WordPress Google XML Sitemaps.

Leia também: 11 ferramentas do Google para sua estratégia digital


Enviando seu mapa ao Google

enviando o xml do site para o Google

Primeiramente, você terá que subir o mapa no seu servidor. Você pode completar essa tarefa através do painel de controle da sua hospedagem ou utilizando um servidor FTP. Feito isso, se você tem um site pelo WordPress, pode completar o cadastro do seu sitemap integrando o Yoast ao Google Search Console.

Calma, já vamos explicar!

Integre o Yoast ao Search Console

Partindo do princípio que você já tem o Yoast SEO instalado, acesse o menu do Yoast na barra lateral e clique em “configuration wizard“.

sitemap

O Yoast vai pedir a você que siga um passo a passo onde terá que especificar o seu tipo de site, se deseja permitir indexação, dentre outras coisas. Ao chegar no passo 6, você deve realizar a integração com o Google Search Console.

Cadastre-se no Search Console usando sua conta do Google, caso você ainda não tenha um cadastro. Em seguida, é só gerar um código de autenticação clicando em “Get Google Authorization Code“.

google search console yoast sitemap

Copie o código gerado e cole na barra indicada na imagem. Clique em “Authenticate“. Pronto, seu sitemap já está dentro do sistema do Google!

Envie seu sitemap diretamente pelo Search Console

Caso você não use o WordPress como plataforma para seu site, saiba que existem outros métodos tão simples como esse. É só seguir esses passos:

  1. Faça login no Google Search Console e configure todas as ações necessárias para chegar ao painel;
  2. No painel, selecione seu site;
  3. Na barra lateral, clique em “sitemap“;
  4. Adicione a URL do seu sitemap (domínio seguido de /sitemap.xml ou /sitemap_index.xml);
  5. Clique em enviar.

sitemap no gsc


Como otimizar ainda mais meus resultados com o sitemap?

Existem algumas boas práticas que você pode fazer para melhorar ainda mais os seus resultados de SEO em relação ao sitemap. Isso vai ajudar seu blog, site ou loja virtual a aparecer em posições cada vez melhores nas pesquisas.

  • Use URLs canônicas: é importante dar preferência ao endereço principal das suas páginas para garantir a autoridade do seu domínio;
  • Não ultrapasse 10 mil URLs: mesmo que o limite de URLs seja 50 mil, é recomendado que você não extrapole os 10 mil para manter eficiência;
  • Divida seu sitemap: crie não somente um, mas vários sitemaps. Ao fazer mapas para cada categoria do seu site, fica mais fácil identificar problemas de indexação.

E aí, esse conteúdo foi útil? Então, leia também:
Google Tag Manager: o que é e como criar uma conta

O que acha de expandir a sua estratégia de marketing com o Dinamize Automation?

Conheça agora!