Os 10 erros mais comuns que devem ser evitados no e-mail marketing

DinamizeCapa, Dica, Dicas do Mail2Easy PRO, Mail2EasyPro, Marketing Digital

Saiba o que evitar na hora de fazer seus disparos de email

Pense: mais de 294 bilhões de emails são enviados por dia em todo o mundo. Isso significa que todos os dias, quando verificamos nossas caixas de entrada, haverão centenas e até mesmo milhares de emails dos quais, a grande maioria jamais será lido.

Por isso quando se faz email marketing, o grande desafio é atrair o contato para que ele visualize e clique.
Muitas empresas fazem email marketing hoje, mas o problema é justamente a forma como elas têm feito.

São cometidos erros básicos, que passam muitas vezes despercebidos, mas que impactam muito negativamente no resultado das campanhas. Nossos especialistas levantaram 10 desses erros mais comuns que você deve evitar a todo o custo quando trabalhar com email marketing.

Confira a seguir:

1. Linha de assunto mal definida

Errar aqui é problemático. O assunto é de extrema importância para o email. É a primeira parte que será vista e será um dos principais determinantes das taxas de abertura do email. Passe pelo menos 5 minutos pensando na sua linha de assunto, possivelmente escrevendo versões diferentes dele ou realizando um teste A/B nos emails para escolher, baseado em amostragem real das visualizações, o assunto com a melhor performance.

Há algumas palavras-chave que podem lhe auxiliar bastante no aumento da leitura:
Ainda dá tempo: 15,54% acima da média
Expiração: 1,63% acima da média
Última chance: 1,05% acima da média
Tempo limitado: 3,05% acima da média

Outro ponto que influencia muito é a quantidade de caracteres do assunto. Evite assuntos sem relação com o conteúdo do email, ou com palavras que caracterizam spam. O ideal são assuntos com até 50 caracteres.

2. Fazer a campanha a partir de um remetente  “naoresponda@”  ou “no-reply”

Se você enviar um email de um desses endereços, não se surpreenda se sua taxa de abertura for baixa. Procure enviar suas campanhas a partir de um email que seus clientes possam responder e não esqueça de incluir números de telefone e links para os perfis sociais no corpo do email, para permitir que o cliente entre em contato com você a partir de qualquer canal.

Este item é tão importante, que filtros os anti-spam por engajamento, como os do Hotmail e Gmail entendem a resposta para seus envios como um fator que pontua positivamente para a reputação.


3. Peça da campanha sem texto (somente usando imagens)

Apenas 33% dos seus contatos aceitarão imagens no email. Isso significa que seu email será exibido como uma caixa vazia com grandes chances de não ser lido por até 67% do público do seu envio.

Os emails com texto tem uma taxa de cliques  40% maior do que aqueles emails em que o corpo é uma imagem. Se você precisar usar as imagens, certifique-se de incluir texto na propriedade ALT da imagem. Incluir um link de visualização externa, que exibe o conteúdo do email no navegador do seu contato, é um recurso interessante.

4. Peça de email sem links

A quantidade média de links dentro de uma peça de email marketing é de 23 links.
Mas outra extremidade da escala……você tem campanhas com zero links! Errado, errado!
Lembre-se: no email marketing o objetivo de enviar o email geralmente é fazer com que as pessoas cheguem até alguma landing page, notícia ou artigo do seu blog ou site e convertam!

Seu email deve incluir pelo menos 1 link que leve à uma página de destino que tenha relação com o conteúdo do seu email, além é claro, dos links de visualização externa e do link de descadastro.

Peças de email sem link para descadastro são quase um convite para ser bloqueado pelos provedores!


5. Links quebrados

Link quebrado é o link que não dá em lugar nenhum do seu site, às vezes, sequer no site. Erro feio e, infelizmente muito comum. Imagine: o seu contato leu, se interessou , clica e…….. recebe um “Não encontrado”. Isso causa má impressão… então tenha o cuidado de revisar os seus links 😉


6. Aquela abordagem do “serve para um, serve para todos”

A forma mais eficaz de marketing é a que gera relevância. Tratar todo mundo igual não funciona mais. Sua mensagem precisa ser interessante para o leitor e sobretudo personalizada, tanto no tratamento quanto no conteúdo.

Um CEO de uma empresa de tecnologia em São Paulo, não tem as mesmas necessidades de um dono de agronegócio em Goiás. Ser relevante, mostra que você se importa, e como apenas 11% das empresas segmentam suas listas de email, fazer isso é uma enorme vantagem competitiva.

A segmentação pode ser básica, pode ser complexa….tudo dependerá de quão especializado é o nicho de mercado que você pretende atender. Se você segmentar sua lista em grupos diferentes e personalizar as mensagens para cada tipo de persona, verá as taxas de cliques aumentarem e clientes interagirem mais.

7. Ignorar o Mobile

Não otimizar seus emails para dispositivos móveis é um dos erros mais comuns de email marketing. 43% das pessoas verificam emails em seus smartphones todos os dias e mais de 40% dos usuários de apps de email  verificam o email quatro ou mais vezes por dia.

O que isso quer dizer? Se o seu email não estiver otimizado para dispositivos móveis,  as pessoas não poderão lê-lo!

Botões, links e a chamada à ação precisam ser grandes o suficiente para clicar com facilidade – e longe o suficiente de outros links para que alguém não clique acidentalmente no link errado.

O layout precisa ser “amigável para celular”, ou seja, com um “design fluido”, para que ele se ajuste a qualquer dispositivo em que ele é visto ou “responsivo”, para que o código do email seja inteligente o suficiente para mostrar uma versão que se adapta a qualquer dispositivo.

8. Comprar uma lista ou enviar para quem não pediu para receber

Estes erros são bem graves e geralmente estão relacionados.
Primeiramente, nenhum fornecedor de email marketing respeitável vai deixar você enviar para uma lista comprada. Eles não querem seus sistemas e ips sendo bloqueados por denúncias de spam ou por causa de envios para spamtraps. 

Mas o motivo principal para não se comprar uma lista são os resultados.  Eles serão terríveis. Tão terríveis, que você provavelmente vai querer seu dinheiro de volta (e não vai receber). Então é mais prudente construir sua própria lista, mas como fazer?

Existem várias formas. Email marketing é muito mais qualidade do que quantidade! A alternativa mais usada é divulgar sua newsletter nas mídias sociais ou oferecer conteúdos (Inbound Marketing) em troca do email.

Mas, vamos supor que você não comprou e esteja usando seu cadastro de clientes, parece certo não é mesmo? O fato é que se você não pediu autorização a eles para enviar, é recomendável não usar esses contatos. Para ilustrar melhor, confira algumas situações:

Situações óbvias em que você não deve enviar:

  • Você adicionou contatos à sua lista, mesmo que você nunca tenha se comunicado com eles e eles nunca se comunicaram com você.
  • Você procurou contatos em sites, manualmente ou com um programa de software.

Situações que causam confusão, se devemos ou não enviar:

  • Você está conectado com contatos no LinkedIn. Você poderia enviar newsletters para eles, certo? Não. Não poderia. O melhor seria oferecer um link para cadastro de newsletter no seu perfil corporativo do linkedIn.
  • Você ganhou vários cartões de visita em uma conferência ou evento que frequentou. É ótimo que eles tenham oferecido essa informação para você, mas isso não é permissão para adicioná-los à sua lista de envio.
  • Pessoas se inscreveram para um webinar que você está promovendo. Você pode enviar seus emails para eles? Não pode, na verdade só os que forem relacionados ao webinar em questão.

Muita gente realmente fica irritada quando é adicionada a um “boletim semanal” do nada, sem motivo.
Uma boa prática é adicionar um checkbox nos seus formulários que pergunte se você pode enviar emails ou não.

Quer saber mais sobre os perigos de comprar uma lista?
Veja nossa postagem no blog,“Comprar listas: você está fazendo isso errado” que aborda bem a gravidade deste comportamento.
Confira também o post “Como criar e manter uma base Ideal”
9. Envios para uma base antiga ou suja

Sabe aquele mailing que você tem há mais de 10 anos do cadastro da sua loja com milhares de contatos? não é uma boa ideia usá-lo para fazer disparos de email. Uma base considerada limpa é somente aquela que poucos ou nenhum contato fica sem interagir em suas campanhas. Por mais limpa que uma lista seja, inevitavelmente você precisará limpar sua lista, porque as pessoas mudam de emprego, telefone, email e endereço. Se você não fizer isso, suas taxas de entregabilidade vão despencar ao longo dos anos. É melhor ter uma lista menor, mais engajada e atualizada do que uma enorme lista de pessoas que não têm interação alguma.

Limpar uma base não é mágica, é metodologia!

Limpar uma base não é mágica, é metodologia!

O período de tempo para considerar a deleção de um contato inativo pode variar dependendo do tipo de erro de entrega (bounce) que ocorreu nos envios em que ele participou. Nos casos de Hard Bounce, ou seja quando um email é enviado para um endereço de email e ele não existe mais, é recomendável deletar imediatamente o contato; no entanto, há erros de entrega chamados Soft Bounces, que muitas vezes são temporários, porém, se um contato permanecer nessa situação por até 6 meses, é uma boa ideia removê-lo de sua base.

Para saber mais sobre como manter sua lista limpa e suas taxas de entregabilidade em alta, veja nosso artigo no blog, “Descanso de base: mantenha a entregabilidade e eficiência”

Outra questão importante é saber é que são e como interpretar as Métricas e Indicadores de email: Leia este post da nossa equipe de marketing sobre o assunto

Saiba mais sobre bounce e erros de entrega: Leia o artigo “O que é bounce em email marketing e como evitá-lo”

10. Enviar email com muita frequência ou esporadicamente

“A maioria das empresas comete o erro de enviar muito email para os consumidores”, diz Matthew Bretzius, presidente da FischTank PR. Mas o oposto – enviar emails raramente – também é errado. “Email marketing é ainda uma das ferramentas mais poderosas disponíveis, mas você tem que encontrar o ritmo certo. O envio de vários emails por dia é exagero demais, ao passo que enviar um email por mês não é suficiente “, observa. “Mantenha um olho em suas taxas de abertura e de clique, assim como nos seus descadastros. Isto irá ajudá-lo a determinar a frequência correta. ”

“Enviar mais emails nem sempre se traduz em aumento de vendas, mandar email demais também pode causar a queda das taxas de conversão“, diz Doug Sechrist, vice-presidente da Infusionsoft.

Segundo Sechrist, a melhor maneira de decidir o número ideal de emails é através de testes A/B.
“Você pode encontrar segmentos diferentes que preferem emails em uma frequência ou outra. Nesse caso, você pode adaptar o volume de envio para cada segmentação. Outra boa prática é a de dar aos seus assinantes uma opção para escolher com qual frequência eles gostariam de receber de você.”


Conclusão

Saber o que não se deve fazer em email marketing é muito útil e fará você economizar tempo e dinheiro. Em resumo, você precisa pensar sobre o assunto do seus envios, revisar os links, balancear quantidade de texto e imagens, usar um remetente que incentive o feedback, ter uma base própria, limpa e sobretudo: manter uma regularidade de envios, sem exageros.

Com todos esses cuidados, o resultado positivo que você busca será o efeito colateral de uma boa gestão e de ações inteligentes.


Gostou deste artigo?

Faça o download aqui


Fontes:
Experts Weigh In: 21 Email Marketing Mistakes to Avoid – Danny Schreiber – Zapier
5 Killer Email Marketing Mistakes to Avoid – Steven MacDonald – Superoffice
7 Classic Email Marketing Mistakes – And How to Avoid Them – ActON Pamella Neely
14 email marketing mistakes to avoid – Jennifer Lonoff Schiff – CIO from IDG



Deixe um comentário